Godard está vivo, sempre!

Por Francis Ivanovich: A primeira vez que ouvi falar de Jean-Luc Godard foi no ano 1985, eu tinha 22 anos, quando seu longa “Je Vous Salue, Marie” foi proibido de ser exibido no Brasil, porque o enredo foi considerado ofensivo a igreja católica. Eu já sonhava fazer Cinema, algo impensável para um jovem operário, gráfico, proletário queContinuar lendo “Godard está vivo, sempre!”